Finanças
O Sonho da casa própria e o financiamento imobiliário

Um dos maiores sonhos da vida de uma pessoa é a aquisição da casa própria.A primeira regra de um financiamento é enquadrar o cliente a uma prestação que não ultrapasse os 30% da sua renda familiar.

Hoje, as menores taxas de financiamento são da modalidade MCMV, mais conhecida como Minha Casa Minha Vida. Esta modalidade é exclusiva para aquisição de imóveis novos e com valores inferiores a R$ 240.000,00 no município de São Paulo.

Em seguida temos a modalidade Carta FGTS, categoria que enquadra imóveis no mesmo valor do MCMV, porém usados. Esta modalidade, atualmente, passa por uma reformulação e, por esta razão, as contratações estão temporariamente escassas.

Existe a modalidade SBPE, que compõe todos os demais valores de financiamento, independente do valor do Imóvel e de renda dos proponentes, sejam eles imóveis novos ou usados, e, em casos onde o futuro mutuário já é proprietário de imóvel, seja ele quitado ou não.

Uma das maiores dúvidas, atualmente, é sobre a utilização do FGTS.

A primeira dúvida é em relação a inexistência de imóvel em nome do mutuário que pretenda utilizar o FGTS na aquisição. A segunda é a comprovação de no mínimo 36 meses de registro em carteira. A terceira exigência trata-se da confirmação do endereço residencial ou comercial que, obrigatoriamente, deverá ser no município do imóvel pretendido ou nos seus limítrofes.

Feita a análise de crédito, da engenharia do imóvel e assinado o contrato de financiamento junto a Instituição Bancária, que neste ato passa a ser a escritura definitiva deste imóvel, serão levados à registro no Cartório de Imóveis da Comarca do Imóvel adquirido.
Algumas taxas devem, obrigatoriamente, ser pagas.

É muito importante salientar que o prazo deste processo do início ao final gira em torno de 30 a 45 dias, mais 20 dias de registro, dependendo muito da documentação do mutuário e do imóvel.

Veja os documentos necessários e outras informações importantes como “taxas obrigatórias”no APP da TUdo.

SS Imóveis

Sandro Santana

Corretor de Imóveis / Correspondente Bancário

Felix Office: Av. Jose Felix de Oliveira, 1270 – Loja 02 – Granja Viana – Cotia

Tels.: (11) 4551-7493 – 2801-3003 | Cel.: (11) 97221-8039



 
Dívidas antigas, solução agora

Por Dora Ramos

 Se na sua casa as despesas multiplicaram-se e a situação financeira ficou complicada em 2016, você esteve como a maioria dos brasileiros. No último semestre, a Confederação Nacional de Comércio, Bens, Serviços e Turismo divulgou um dado preocupante: 58,2% das famílias do país estavam endividadas, e muitas delas declararam não ter condições de pagar boletos, carnês e faturas de cartões de crédito pendentes.

 Diante de uma situação como essa, a primeira coisa que fazemos é nos questionarmos sobre o que fizemos para chegar a tal condição. Acontece que, em meio ao desespero, as respostas parecem não chegar; e, quando não identificamos as causas do problema, solucioná-lo se torna praticamente impossível.

 Embora cada família tenha suas peculiaridades, todas estão sob algumas condições semelhantes e enfrentam dificuldades parecidas. A maior delas é, sem dúvida, resistir às ofertas do comércio. Estrategicamente, o mercado nos estimula a consumir de maneira desenfreada, criando necessidades que não temos.

 O primeiro passo para quitar dívidas antigas é reduzir as despesas atuais, e, para isso, é indispensável distinguir gastos necessários e supérfluos. Essa não é uma tarefa fácil, e o ideal é que seja feita com o consentimento de toda a família. Identificados os exageros, é hora de cortá-los. Abrir mão de alguns caprichos é um sacrifício necessário para sair do vermelho.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 Próximo > Fim >>

Página 1 de 4

Indique !